top of page

SARAU DA TOCA – POESIA NO CRIMEA

Atualizado: 22 de set. de 2023

Plataforma #entocados da A Toca Coletivo inicia novo projeto cultural nas redes sociais e presencial, agora no bairro Crimeia Leste.

O Ponto de Cultura A Toca Coletivo inicia no próximo dia 08, sexta-feira, durante o Festival de Teatro Ocupa Novo Ato – Festona, mais um ciclo de atividades da plataforma cultural #entocados. Com apoio da empresa Equatorial Energia, por meio do programa de incentivo à cultura estadual Lei Goyazes – Secult- Governo de Goiás, o evento se iniciará com a 11ª edição do Sarau da Toca - Poesia no Crimeia.

Durante todo o projeto, que se estenderá por 12 meses, serão realizados mais 5 saraus contando os movimentos de ruptura poética e literária em Goiânia, Goiás, Brasil e no mundo. Serão convidados coletivos culturais atuais e estudiosos destas cenas, com encenação e interpretação de poemas das diversas épocas.

“Além dos saraus, cursos, oficinas e diversas outras atividades culturais, nas áreas de música, circo, cinema, literatura e do resgate do jornal do bairro que sempre teve uma atividade cultural muito forte, serão realizadas ações de forma virtual e presencial, ao contrário do primeiro #entocados, feito em 2022, somente de forma virtual devido à pandemia de covid-19”, explica Débora Resendes, uma das coordenadoras do #entocados.

O Sarau Poesia no Crimeia, onde a Toca nasceu e hoje está instalada, com os poetas crimeienses Léo Pereira, o Terrorista da Palavra; Luiz Fafau, da Hocus Pocus; e o poeta, compositor e cantor Gilmaré que, além de apresentar seus poemas, fará o show de encerramento da abertura do Festival. É a 11ª edição do Sarau da A Toca Coletivo.

O sarau é uma homenagem aos fazedores de cultura do bairro e será conduzido pelo jornalista e produtor cultural do #entocados, Carlos Pereira, morador do Crimeia Leste há mais de 50 anos. Terá ainda a participação do ator Marcos Maria Branquinho, com intervenções poéticas e performáticas.

“Além dos saraus, vamos fazer atividades na sede do Ponto de Cultura no Crimeia Leste, no teatro da Cia Novo Ato, que se instalou no bairro, em colégios, na rua e na praça. As atividades serão desenvolvidas de forma virtual e presencial. Estamos animados com a Toca agora no Crimeia, onde mora e respira cultura quase a totalidade de seus colaboradores”, finaliza Carlos Pereira.


Conheça os convidados desta edição:


Leo Pereira

Autor dos livros Mateuzim e Verde Alecrim, tem textos teatrais já montados: Poética Bancária, Doença do Acúmulo; Papel Picadeiro e Sete contos; além do Verde Alecrim com direção do teatrólogo Hugo Rodas. Lançou dois CDs e um DVD com a banda Terrorista da Palavra. É da geração que ocupou os concursos de Poesia Falada da década de 80, intervindo e trazendo uma nova linguagem cênica para a poesia em Goiás. Foi o criador da ONG Crimeia Resistência Comunitária que realizou diversas atividades culturais e sociais no Crimeia Leste.


Luiz Fafau

Luiz Fafau Veio ao mundo na Rua 215¸Vila Nova. Moleque doido no Setor Ferroviário. Adolescente crimeiense, foi o primeiro editor, ainda adolescente, de um jornal no Colégio Estadual Olga Mansur situado no bairro. É também fundador do Jornal Crimelão, que fez história na capital como referência de resistência cultural em plena ditadura militar. Fanzineiro nos anos 80. É ainda um dos criadores de um dos espaços culturais mais undergrounds de Goiânia, o sebo e livraria Hocus Pocus. Poeta. Crimeiense. Como não é de falar, interpretar ou encenar poemas, convidou o ator Marcos Maria Branquinho para tirar estas do papel.


Gilmaré

Gilmaré, o “mazin”, menino lumbriguento na infância do Crimeia. Ainda criança pirou vendo o pai chegar de monarcão e pisar no chão com uma pé de bode comprada no Zino Prado e puxar o fole. Surpreso e impressionado, correu para abrir o colchete de arame e experimentar a sanfona já que era ruim de bola e precisava achar algo que lhe desse prazer de fazer. Não parou mais.Viu na sanfona, no violão e nos apanhados de rascunhos e rabiscos, versos tirados em guardanapos, o seu destino: as artes e a boemia. Editou o seu Tira-Gosto de Poesia em pergaminho enrolados em palitos de churrasco e vendia xerocado pela "Editora Porranenhuma" coleção "Divagar e Sempre" do poeta Pio Vargas que também lhe confeccionou em arte xerox o seu primeiro livro, o "Pensafalamentos de Gilmaré SFerreira". Tentou pensar e falar fora da caixa, abriu o portal do lado escuro do seu ser, deu mais um passo e caiu no vão de si mesmo fora da sua caixola e aí saiu: "Minha Cabeça Nada Tem e Nada Faz!” um hit crimeiense.


Marcos Maria Branquinho

Tecnólogo em produção cênica pela Escola do Futuro em Artes Basileu França, ator, dançarino, diretor de teatro e dança. Possui curso técnico profissionalizante em Dança ( clássico e contemporânea) pelo Centro Livre de Artes CLA. Desde 2016 trabalha com o conceito de arte Butoh. Branquinho é natural de Goiânia, neto de baianos que vieram ajudar na construção da nova capit Com uma carreira artística extensa, sua primeira performance se deu ainda na adolescência, nos anos 80', quando se apresentou com uma coreografia no programa infantil "Jornal da Criança" da TBC (Televisão Brasil Central) canal 13. Daí veio os estudos em dança nas Escola de Arte Veiga Valle, CLA, onde se profissionaliza com o Corpo de Baile Municipal. Atuou no Balé Jovem do Gustav Ritter. Suas performances agregam as linguagens do teatro, da dança e da performance arte. Teve duas performances selecionadas pela curadoria do Festival Internacional de Artes Cênica Goiânia em Cena, um prêmio especial do júri por melhor performance no Festival Nacional de Artes e Poesia FENAPO 2017. Selecionado por vários festivais internacionais por suas vídeos-performance.



SERVIÇO

SARAU DA TOCA – POESIA NO CRIMEA - Plataforma #entocados

Data: 08/09/2023 (sexta-feira)

Horário: 21:00 horas

Local: Teatro - Cia Novo Ato Endereço: Qd. 24 Lt. 18-5, R. Sebastião Fleury Curado, 193 - Crimeia Leste, Goiânia - GO, 74660-180

Entrada: 1 kg de alimento não perecível.

7 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comentarios


bottom of page