top of page

UzBítu

Atualizado: 8 de dez. de 2023

A Uzbitu é uma banda de tributo a Beatles criada em meados de 2018, por cinco amigos, todos estudantes de música da Escola de Música e Artes Cênicas (EMAC-UFG). A ideia de montar a banda surgiu nos intervalos das aulas do curso, movida a um interesse em comum de tocar juntos, e selada pela paixão em comum que todos tinham pelos Beatles.


Assim, em 2019 começaram a realizar shows em alguns bares de Goiânia, além de eventos particulares, até que veio a pandemia. Com este novo contexto, a banda teve que parar de se apresentar ao vivo. Mas não contentes com a inércia, resolveram produzir vídeos caseiros em mosaico interpretando clássicos do consagrado quarteto de Liverpool, todos “entocados”, cada um na sua toca.


E o resultado da adaptação a este contexto desesperador da pandemia está aí!


São três músicas dos Beatles (If a Fell; All my loving; While my Guitar Gently Weeps) e uma da carreira solo de John Lennon (Imagine).


Em 1971, na Inglaterra, começou a ser gravada "Imagine", uma música que logo se tornaria um hino pela paz. Há quase 50 anos, o músico inglês - John Lennon - clamava pela paz mundial e igualdade entre as pessoas e nunca desde sua gravação essa música traduziu tão bem o significado do desejo da humanidade como em nossos dias. Imaginar um mundo inteiro unido pela vida é exatamente o sentido que John Lennon e Yoko Ono expressam em sua simbólica e reverenciada canção.


Sobre If I Fell: “Em A Hard Day’s Night John teve de cantar ‘If I Fell’ para Ringo porque não havia um lugar para ela no roteiro já escrito e nenhuma cena de amor. - Nessa parte do filme estamos num estúdio de televisão, e Ringo está um pouco mal-humorado - Paul explicou em 1964 - John começa a brincar com ele e depois canta essa música como se fosse pra ele. Tivemos ataques de riso durante a gravação.”

(Fonte: The Beatles - A história por trás de todas as canções - Steve turner)


Obs: Na versão da música If I Fell, se optou por gravar em um formato reduzido, com Tiago Araújo no violão e vocal, e João Pedro Barnez no cajon e vocal.

While My Guitar Gently Weeps foi composta por George Harrison, para o álbum de 1968, The White Album.

Uma curiosidade sobre a música é que quem gravou a guitarra solo foi o grandioso Eric Clapton, famoso guitarrista de Blues e Rock 'n' Roll e grande amigo dos Beatles na década de 60.

Nossa versão, que é uma mescla entre a original e a versão apresentada no álbum 'Love' - coletânea feita por George Martin, lançada em 2006, para o espetáculo do Circo du Soleil de mesmo nome - conta com um solo de guitarra diferente do de Clapton composto por nosso guitarrista e vozes adicionais escritas pela banda.


Atualmente, All My Loving é uma das músicas mais conhecidas e apreciadas do quarteto britânico. Foi escrita por Paul McCartney em 1963, para o álbum With The Beatles (os créditos oficiais são de Lennon-McCartney). A versão original conta com, além do quarteto, George Martin como produtor e Norman Smith como engenheiro de áudio.

A música apresenta estrutura e clima característicos do Rock 'n' Roll clássico do início da carreira da banda e a letra se trata de uma carta de amor e saudade. Segundo relatos de Paul, essa foi a primeira música na qual ele começou a composição a partir da letra.


Os integrantes são: João Pedro Barnez (Vocal); Cleiton Carvalho (Guitarra e Backing vocals); Tiago Araújo (Baixo e backing vocals); Oswaldo Simas (Teclados); Felipe Roso (Bateria).


Conheça um pouco mais de cada um dele 👇


Cleiton Carvalho (Guitarra e violão) veio de uma família musical e cantava em corais na igreja católica da cidade onde cresceu, Anicuns. Durante a adolescência teve contato com o teclado mas apaixonou-se pelo violão aos 15 anos, tendo o primeiro contato com a guitarra 5 anos depois. Possui mais de 10 anos de experiência como professor de música e organizador de eventos, recitais e shows de alunos, além da atuação como instrumentista, acompanhando cantores e bandas de Goiânia tendo integrado as bandas Movie Sessions, El Pato Loco e etc além de se apresentar em carreira solo e dupla em bares sertanejos.

Estudou por um ano no Itego Basileu França e cursou um ano de Licenciatura em Educação Musical. Foi proprietário e professor da Sákura Centro de Educação Musical e hoje é aluno do Professor Ms. Fabiano Chagas no curso de Música - Licenciatura em Guitarra pela Universidade Federal de Goiás. Versátil como instrumentista, toca dos mais variados estilos de violão, viola brasileira e guitarra, da música caipira sertaneja (modão) até o samba e a mpb passando pelo pop, rock, jazz e etc.

📸 : @gabriellisciofoto @gabrielliscio


Fellipe Rodrigues de Souza (Bateria), mais conhecido como Fellipe Roso, é amante da música desde sempre, e fã de rock n'roll desde o primeiro contato. Começou a tocar violão aos 12 anos, aos 15 anos montou sua primeira banda tocando guitarra, e aos 15 anos começou a estudar percussão na banda marcial da escola que estudava. Aos 16 anos, a banda que Fellipe tocava guitarra precisou de um baterista, então Fellipe resolveu assumir as baquetas. Nos 16 anos de idade se inicia sua trajetória com a bateria, que possibilitou tocar em casas de show e eventos particulares desde o começo, tocar bateria foi o verdadeiro ápice do seu encontro musical. Fellipe atualmente estuda licenciatura em bateria na Emac ( Escola de Música e Artes Cênicas ) da UFG ( Universidade Federal de Goiás ), já tocou em diversas bandas autorais e bandas tributo. Procura sempre enriquecer sua carreira musical tocando bateria como instrumento principal, atualmente é o baterista da banda UzBítu.

📸 : @gabriellisciofoto @gabrielliscio


João Pedro Barnez (Voz e violão), nasceu em Goiânia e iniciou sua trajetória musical muito cedo, através de aulas de violão na infância. No início da adolescência, teve seu primeiro contato com a bateria, que foi seu instrumento principal por alguns anos, tendo formado diversas bandas autorais, em sua maioria bandas de garagem.

No início da vida adulta, ingressou no curso de Biologia da UFG e nesse período seu contato com a música aumentou ainda mais, integrou projetos autorais mais sérios como Dark Cave e Cógito, com quem fez shows e acabou entrando de cabeça no mundo musical. O interesse pela música resultou na transferência de curso, saiu da Biologia e teve seu ingresso no curso de Educação Musical da EMAC/UFG, onde descobriu sua paixão pelo canto, que logo se tornou seu foco de estudo. Desde então, estudou canto e piano paralelos a faculdade. Atualmente, pretende ingressar no curso de Bacharelado em Canto. Faz parte da banda tributo a Beatles, UzBítu, cantando e tocando violão e participa do Coro de Câmara do Instituto de Educação em Artes Gustav Ritter.

📸 : @gabriellisciofoto @gabrielliscio


Natural de Goiânia, Tiago (Baixo e voz) sempre foi rodeado por música na sua família. Desde criança tinha contato com a cena de rock de goiânia através de sua família e, além disso, tinha muito contato com MPB através de discos de vinil da sua mãe. Aos 10 anos começou a tocar violão por influência de seu irmão, mãe e primos e aos 12 anos começou a ter aulas de música na ONG do setor Criméia Leste, onde tinha aulas de violão, teclado e cavaquinho. Aos 14 anos, integrou a banda Procedê, quando teve seu primeiro contato com o baixo elétrico e começou a se apresentar em vários eventos de rock em Goiânia e a partir disso integrou diversas outras bandas no cenário de rock como baixista ou guitarrista, como Diphobia, Cógito, Distorce, etc. Em 2018 se apresentou tocando músicas autorais em voz e violão no festival Juriti de Música e Poesia encenada. Atualmente cursa Educação Musical na EMAC-UFG e é baixista e vocalista da UzBítu, além de também tirar umas canjas no violão e teclado.

📸 : @gabriellisciofoto @gabrielliscio


Oswaldo (cravo, piano e gaita) nasceu em Brasília, rodeado pela música tocada pela avó, de Chopin a Zequinha de Abreu, como pelo som que rolava constantemente em sua casa, colocado pelo seu pai, amante do rock e da música popular brasileira. Tudo lhe causava grande interesse. Com seis anos de idade, ingressou numa escolinha de música, onde aprendeu a tocar flauta e foi introduzido ao violão. Aos 12 anos, teve suas primeiras aulas de piano, numa escola perto de casa e depois teve aulas com um ótimo professor particular, mas esse estudo não durou muito.

Por muitos anos, permaneceu treinando esporadicamente, sem nenhum tipo de aprendizado formal, mas sempre fascinado pela música.

A retomada para a área musical ocorreu durante o curso de Biologia da UFG, onde conheceu João Pedro e Iago e foi convidado a integrar o trabalho autoral da Dark Cave. A partir daí, pegou algumas aulas no curso de extensão Piano Forte com o professor Carlos Henrique da UFG e nunca mais abandonou a música. Com o fim da Dark Cave e a semente musical profundamente plantada, transferiu seu curso para Educação Musical e começou a estudar cravo no instituto Gustav Ritter, em busca de uma abordagem histórica para as peças barrocas e a inclusão do instrumento nos diversos gêneros musicais.


📸 : @gabriellisciofoto @gabrielliscio


Siga as redes sociais da banda:


Apresentação:




“Este projeto foi contemplado pelo Edital de Arte nos Pontos de Cultura Aldir Blanc - Concurso nº 02/2021-SECULT-GOIÁS – Secretaria de Cultura - Governo Federal".



54 visualizações0 comentário

留言


bottom of page